Home » Marketing » Marketing médico: como atrair mais pacientes?

Blog Visuality - Agência Visuality Comunicação

4
julho
2018
Sem comentários.

Marketing médico: como atrair mais pacientes?

As formas de se comunicar se transformam constantemente, e, para não ficar para trás, é preciso acompanhar sua evolução. Se destacar no mercado tão concorrido é importante para conquistar novos pacientes.

Em meio às transformações no cenário, é ultrapassado o pensamento de que o marketing médico está relacionado a algo negativo. A promoção do profissional da área da saúde beneficia a população ao proporcionar maior acesso à informação e ao mudar a relação médico-paciente, agora muito mais próxima e acessível.

Cada vez mais se torna indispensável o investimento em estratégias que deem visibilidade ao seu nome, sua experiência e da clínica em que atua. Quem aplica o marketing médico colhe excelentes resultados quando executado de maneira correta.

Esteja no meio online

marketing médico: esteja presente no meio online

Estar presente no meio online é essencial, uma vez que é altamente utilizado na busca de informações médicas. De acordo com pesquisa realizada pelo Google, 99% dos entrevistados usam a web para pesquisar questões relacionadas a saúde.

Para garantir que seu marketing online seja eficiente, é necessário elaborar um planejamento adequado, que utilize técnicas certeiras para atingir seu público-alvo. Muitos médicos se queixam por estarem inseridos na rede com sites, blogs e redes sociais, mas não obter o resultado esperado.Porém, somente a sua presença no online não garante o retorno. É preciso saber se posicionar enquanto profissional da saúde. Colaborar para a educação da sociedade, com informações completas e o esclarecimento das dúvidas, é uma forma de conquistar novos pacientes e fidelizar aqueles que já são pacientes.

Atente às limitações legais

Cuidado com o manual criado pelo CFM e Codame

O marketing médico exige atenção não somete ao público, mas também às diretrizes da lei. O Manual da Publicidade Médica, criado desde 2011 pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Comissão de Divulgação de Assuntos Médicos (Codame), contém regras para a publicidade médica, evitando que a propaganda seja realizada de forma arbitrária e antiética.

Sites

Para atender às normas do Conselho, os sites devem conter as informações do profissional, com a correta divulgação das especialidades e da formação profissional. Outra solicitação é se adaptar aos diferentes dispositivos (computador, celular, etc.).

 Redes sociais

A utilização das redes sociais é um bom modo de fortalecer a relação médico-paciente, devido ao maior acesso entre as pessoas (você estará onde seus potenciais clientes estão) e a maior interatividade possibilitada pelas plataformas. Entretanto, assim como em blogs, não é permitido prestar consultas ou prescrições online. Deve-se cuidar também com o tom dado aos textos, para que não ganhem um cunho sensacionalista e promovam garantias que não se pode dar com exatidão com a realização dos procedimentos.

Peças publicitárias

Em materiais publicitários, é necessário divulgar o nome, número de registro no Conselho Regional de Medicina (CRM), especialidades e, caso também possua, o registro de Qualificação de Especialidade (RQE). O CFM permite divulgar duas especialidades e veta qualquer qualificação que não esteja registrada nos órgãos responsáveis. Os anúncios não devem conter preços, promoções e formas de pagamento.

Entrevistas

O médico pode conceder entrevista aos veículos de comunicação, desde que sua participação seja para divulgar e estender o conhecimento científico à população. Devido a esse caráter, o profissional não deve receber por isso.

Fotos de pacientes

A exposição dos pacientes é vetada pelo órgão. Selfies, antes e depois, depoimentos ou qualquer tipo de exposição devem ser evitadas pelos profissionais.

Evite erros básicos

É necessário ter cuidado com os métodos escolhidos para atrair pacientes. Você pode cair em armadilhas que, mais tarde, se tornarão grandes problemas.

Fazer propaganda enganosa

Erro grave em qualquer empresa, quando se trata da área da saúde, a proporção é ainda maior. Não anuncie uma especialidade que você não possui. Além de ser antiético, é proibido pelo CFM.

Publicar aparelhos como forma de demonstrar superioridade

Pode ser muito comum que você adquira equipamentos de alta qualidade para sua clínica. Porém, divulgar que você os possui, na tentativa de se destacar diante dos concorrentes, não é indicado. Uma maneira de fazer isso sem ir contra o CFM é criar um conteúdo de blog abordando a importância desses aparelhos nos procedimentos.

Criar alarde sobre uma notícia de saúde 

Uma doença que ataca um grande número de indivíduos inesperadamente causa perturbação na sociedade. O médico deve evitar publicar informações que causem ainda mais pânico.

Realizar avaliações à distância

As redes sociais e aplicativos de mensagens são ótimos para aproximar médico e paciente. Entretanto, o CFM não permite a realização de consultas por meio dessas plataformas, em substituição ao atendimento presencial.

Conte com a ajuda de profissionais

agência marketing para publicidade médica

Especialistas preparados para elaborar e desenvolver uma estratégia de marketing para sua empresa fazem toda a diferença. Uma agência de marketing possui profissionais que vão ajudar você a pensar em estratégias para o meio médico. Além do conhecimento a respeito das normas do CFM, o médico se beneficia da experiência que uma agência tem em saber qual tipo de conteúdo envolve mais o consumidor, o interesse do paciente, leads, entre outras informações importantes.

O marketing médico se mostra cada vez mais importante, já que, devido as mudanças no cenário, as pessoas não recorrem tanto às páginas amarelas para buscar um profissional da área da saúde.

Quer saber mais sobre publicidade médica? Baixe nosso e-book “5 DICAS PARA ATRAIR MAIS PACIENTES”.

 


Comentários

Seja o primeiro a comentar isso!